02/09/13 Treinamentos # ,

Educador Físico enquanto Profissional de Saúde

Uma das coisas que parece não estar consolidada ainda sociedade, é o conhecimento de que o Profissional de Educação Física é um profissional de saúde de nível superior. Ao longo dos anos que já atuei tenho percebido, que mesmo alguns profissionais de outras área da saúde ainda desconhecem isto e nem mesmo sabem onde o Profissional de Educação Física se encaixa no âmbito da saúde. Exceto por algumas pessoas mais informadas tanto da saúde quanto de outras áreas, parece que a maioria da população ainda tem este desconhecimento. Talvez isto se deva pela hodierna legislação da nossa profissão que teve sua regulamentação sancionada pela lei 9.696, que dispõe da regulamentação da profissão de educação física em 1998. Com a criação do sistema CONFEF/CREFs. Entretanto, o reconhecimento como área de saúde de nível superior conforme resolução nº 218 de 06 de março de 1997 que confirma e estabelece:

  • a 8ª Conferência Nacional de Saúde concebeu a saúde como “direito de todos e dever do Estado” e ampliou a compreensão da relação saúde/doença como decorrência de vida e trabalho, bem como do acesso igualitário de todos aos serviços de promoção e recuperação da saúde, colando como uma das questões fundamentais a integralidade da atenção à saúde e a participação social;
  • a 10ª CNS reafirmou a necessidade de consolidar o Sistema Único de Saúde, com todos os seus princípios e objetivos; a importância da ação interdisciplinar no âmbito da saúde.
  • o reconhecimento da imprescindibilidade das ações realizadas pelos diferentes profissionais de nível superior constitui um avanço no que tange á concepção de saúde e à integralidade da atenção.

RESOLVE:

I – Reconhecer como profissionais de saúde de nível superior as seguintes categorias:

  1. Assistentes Sociais
  2. Biólogos;
  3. Profissionais de Educação Física;
  4. Enfermeiros;
  5. Farmacêuticos;
  6. Fisioterapeutas;
  7. Fonoaudiólogos;
  8. Médicos;
  9. Médicos Veterinários;
  10. Nutricionistas;
  11. Odontólogos;
  12. Psicólogos; e
  13. Terapeutas Ocupacionais.

São 13 (treze) as categorias profissionais de nível superior que completam o universo da saúde na integralidade do indivíduo. Destarte, é mais importante que ações em benefício da sociedade firmem o reconhecimento da Educação Física enquanto área de saúde aos que ainda tem um estereótipo de Educação Física vinculada unicamente às escolas, ao esporte como profissional que estuda regras, técnicas e táticas sem saber que os mesmos muitas vezes são utilizados estrategicamente para serem usados a favor de um objetivo psicomotor, fisiológico, sociológico e não apenas de performance desportiva que também é meta dependendo de onde se aplica. Tudo isto é está repleto de amplo embasamento teórico que muitas vezes é necessário que as pessoas em geral tomem conhecimento.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Regulamentação da Educação Física no Brasil:

Disponível em <http://www.confef.org.br/extra/conteudo/default.asp?id=16> Acesso em 02 de set de 2013.

Conselho nacional de saúde.  Resolução nº 218 de 06 de março de 1997.

Disponível e m <sna.saude.gov.br/legisla/legisla/exerc_p/RES_CNS218_97exerc_p.doc‎>

acesso em 02 de set de 2013.

DAVIDSON CASTRO

Profissional de Educação Física
CREF: 035007-G/RJ
Tel: 55 21 8649-7506

E-Mail: davidson_castro@ymail.com

 

DO_G

0 likes no responses
01/09/13 Eventos , Notícias #

DIA DO PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Hoje é dia do Profissional de Educação Física.

Parabéns aos meus estimados colegas desta categoria!

Prof

0 likes no responses
01/09/13 Eventos # ,

Congresso Científico dos 40 anos do INTO

Congresso Científico dos 40 anos do INTO
No último Sábado, dia 31/08/2013, Pude assistir a uma palestra do Profº Parreira, que foi convidado do Congresso Científico dos 40 anos do Instituo Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO). O professor falou sobre táticas dentro do futebol desde a preparação até a competição e trouxe a sua experiência no esporte de alto rendimento para formar uma equipe vencedora desenvolvendo o espírito de cooperação mútua.
De fato, sabemos que no treinamento desportivo existe a periodização, e nela consta ciclos de treinamento formado pelos macro, meso e microciclos, que são responsáveis por preparar em determinada temporada o meu atleta ou minha equipe para uma competição alvo. Durante a preparação, temos os períodos pré-preparatório, preparatório, competição e  transição e cada uma delas nos dá a especificidade daquilo que precisamos, ninguém nasce sabendo todas as coisas, por isso, cursamos a pré-escola, ensino fundamental, médio até chegarmos ao superior e até o doutorado. Por isso, é bom procurarmos fazer todas as coisas por etapa e os moldes da preparação física nos dão a dica não apenas para o esporte, mas para qualquer objetivo da vida.
A ex-atleta de voley de praia Adriana Behar, medalista olímpica em 1996 (Atlanta) e 2000 (Sidney) cita duas frases em sua palestra, sendo que a segunda é evolução empírica da outra., onde a primeira frase diz: “Vencer não é tudo, é a única coisa”. 
A segunda frase, provavelmente consequência  da prata Sidney já evolui assim: “Vencer não é tudo, mas dar tudo pela vitória, é a única coisa”. 
Adriana Behar
Que possamos à partir deste momento, no dia do Profissional de Educação Física reescrever nossa história e crer que a vitória depende de tudo que fazemos para alcançá-la sem jamais desanimar com as derrotas e desistir.
0 likes no responses